Posted on

Tributação e burocracia lideram a lista, segundo dados do Sebrae/SC Para entender quais são os principais desafios do empreendedor catarinense, o Sebrae/SC conversou com 100 micro e pequenos empresários para trazer à luz as dificuldades de quem empreende em Santa Catarina. Entre os fatores levantados, alguns estão diretamente relacionados a políticas públicas e sazonalidade do mercado.

Eiji Okita, consultor especialista em planejamento empresarial e gestão de indicadores e resultados, explica que as empresas estão inseridas em um ambiente de desafios externos variáveis, onde empresários têm pouco ou nenhum controle, sendo divididas entre macro e setorial.

— Macro se refere a questões políticas, sociais, tecnológicas e econômicas que impactam na organização — conceitua Okita.

Já o setorial, segundo o especialista, é quando o gestor pode realizar ações que levam sua empresa a “encolher a operação” e, diante do mesmo cenário, outro empresário pode expandir sua operação enxergando por uma outra perspectiva como forma de oportunidade.

Desafios macro

Quando se fala em variáveis externas, isentas de controle, o empresário catarinense aponta o dedo para alta carga tributárias. Os encargos trabalhistas e cobranças em cascata, a crise econômica, com frações na política, são apontados como dificultadores das vendas, que afugenta os clientes e gera menos dinheiro circulando na economia, com origem na diminuição do poder de compra. Outro reflexo desse cenário é o aumento da inadimplência, que aumentou, recentemente, em proporções fora da curva normal a que estão acostumados.

Outro problema apontado pela pesquisa é a burocracia dos órgãos públicos, principalmente a demora na liberação de licenças e alvarás que provocam perda e de negócios, por falta de uma estrutura de funcionamento adequada.

O consultor do Sebrae/SC, Eiji Okita, ressalta que esses fatores externos se apresentam como formas de ameaças aos empreendedores e, ainda que com pouco poder de mudança, é importante estar ciente desses impactos e melhorar a gestão, além focar em oferecer o melhor serviço/produto ao cliente buscando fidelização.

Desafios Setoriais

O ambiente setorial na qual a empresa está inserida é um importante ponto a ser avaliado, para entender o tamanho do mercado na qual este setor está inserido e qual a sua participação neste ambiente, permitindo tomar uma decisão mais assertiva para determinar os objetivos gerais da empresa.

O comércio eletrônico, por exemplo, ainda é ameaça muitos lojistas. Já outros, conseguiram se adaptar. Esse desafio também foi elencado pelos micro e pequenos empresários que participaram da pesquisa, porém, neste caso, a solução pode estar dentro do escritório.

— Muitas empresas tomam por base apenas o histórico de faturamento passado, sem preocupar com o volume movimentado neste setor na qual o negócio está e a participação dos principais concorrentes no mercado — comenta o consultor.

Como enfrentar os desafios

Empreender no Brasil é um desafio por si. O empresário não pode deixar a guarda baixa e deve sempre estar atento às movimentações políticas e do mercado em que está inserido. O Sebrae/SC mostra alguns caminhos para se fortalecer na jornada, como se manter atualizado e conhecer a fundo a realidade do setor em que seu produto ou serviço está inserido.

Também é importante manter o foco no cliente, ter uma gestão financeira e administrativa equilibrada, com atenção em vendas e marketing, além de conhecer e se adaptar às tecnologias mais atuais.

Cursos como o de Gestão de Indicadores e Resultados, realizado pelo Sebrae/SC, auxiliam o empresário a observar esse comportamento de gestão e definir importantes estratégias para se manter ativo no mercado. O resultado dessa atenção com aspectos de dentro do negócio vão gerar oportunidades de desenvolver os talentos e satisfazer os clientes – além de fortalecer o empreendimento para superar os desafios da empresa.