Posted on

Detalhamento de gastos, compras planejadas e poupança são fundamentais para quem busca o sucesso nos negócios O dinheiro pode tanto ser o mocinho quanto o vilão de um novo negócio. O que vai determinar como essa relação irá ocorrer é o controle feito de quanto se recebe e quanto se gasta. Falar em gestão financeira pode parecer precipitado, ainda mais quando a empresa está começando a surgir, e as cifras são pequenas. No entanto, é justamente nesse momento que uma administração eficiente dos recursos pode definir a longevidade do empreendimento. Não importa o montante que será administrado, o que vale é manter um controle rígido sobre cada centavo.

Nesses casos, a regra de ouro consiste em respeitar três princípios básicos: planejar, evitar contrair dívidas e poupar sempre que possível. Essas atitudes são vistas por especialistas como fundamentais para assegurar a saúde financeira da empresa.

Os gastos de uma empresa devem ser separados em dois grupos específicos: fixos e variáveis. O primeiro corresponde a custos que podem ser inteiramente previstos, como folha de pagamento, fornecedores e contas relacionadas ao imóvel, por exemplo. Já os custos variáveis correspondem ao investimento para produção ou comercialização.

Orçamento realista

Construir um orçamento é visto como algo necessário dentro das estruturas de administração da maioria das empresas, porém, a forma como esse planejamento é feito nem sempre é a ideal. Para que no final do mês o que foi gasto seja condizente com o que foi previsto, é essencial que se mantenham expectativas realistas. Sendo assim, é fundamental evitar compras parceladas ou contar com um dinheiro que ainda não está em caixa. Esse ciclo vicioso pode ser uma barreira ao desenvolvimento dos negócios, pois consecutivas prestações acabam, ao longo dos meses, se tornando superiores ao fluxo de renda, ou seja, inviabilizam a formação de uma poupança.

O registro dos gastos deve ser feito rigorosamente, discriminando todos os custos ocorridos ao longo do mês e projetando onde será necessário empenhar a renda do próximo período. Apenas desse modo o empresário terá uma visão global do negócio, com definição do desempenho obtido e construção de novas metas.

Aprender a poupar faz diferença

Um sinal claro de que os esforços para manter a saúde financeira estão surtindo efeito é a capacidade de formação de uma poupança. Essa reserva é fundamental para garantir estabilidade aos negócios tanto em períodos de maior entrada de renda quanto naqueles meses mais difíceis. Ter uma quantia guardada significa ter mais liberdade para empreender, seja ampliando o negócio, modernizando processos ou aproveitando uma oportunidade inesperada de investimento. De acordo com especialistas, o ideal é que essa reserva ao ano seja equivalente aos gastos relativos a três meses de operação da empresa.

Apoio qualificado

O crescimento de uma empresa passa pelo olhar atento dos responsáveis pelo negócio. Informações de fluxo de caixa, compras, abrangência de mercado e demais detalhes cruciais para o bom andamento da empresa devem fazer parte da rotina de todo empreendedor. A gestão de custos possibilita reinvestir o lucro, gerar poupança e manter em dia as contas da empresa, tornando mais fácil a tomada de decisões.

No entanto, algumas tarefas demandam capacitação específica e até mesmo auxílio de profissionais qualificados. O Sebrae/SC oferece diversos cursos e consultorias para orientar sobre o gerenciamento adequado das finanças. Um deles, o Gestão de Indicadores e Resultados (GIR), tem vagas abertas para o próximo ano e as inscrições podem ser feitas no site, onde também é possível verificar ainda a carga horária, os valores de investimento e outras informações sobre o curso.