Posted on

Animal, que tinha menos de um mês de vida, foi encontrado em São Francisco do Sul. Animal passou por oito horas de cuidados mas não resistiu

Um filhote de toninha, espécie de golfinho ameaçada de extinção, que tinha menos de um mês de vida, foi resgatado na Praia Grande, em São Francisco do Sul, e morreu durante a reabilitação. Apesar do esforço da equipe da Associação R3 Animal, por meio do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), em Florianópolis, o mamífero passou por atendimento por oito horas, mas não resistiu.

De acordo com a equipe da associação, o filhote foi encontrado no dia 15 de outubro e estava bastante estressado. Ele tinha 64 centímetros e pesava 3,8 quilos. Segundo a veterinária da R3 Animal Marzia Antonelli, por se tratar de um recém-nascido, o golfinho precisava passar por adequações fisiológicas para o ambiente marinho e também necessitava dos cuidados maternos e de colostro.

“Vemos muitos casos de golfinhos que ficam presos em redes de pesca e acabam morrendo. Suspeitamos que a toninha seja órfã, porque a mãe dela pode ter ficado presa em alguma rede, ou que ela já estaria doente por ter sido contagiada com uma doença da própria mãe”, disse.

Ainda segundo a equipe, essa foi a quarta toninha viva recebida pela R3 Animal. Duas delas também eram filhotes e não sobreviveram. “Nós já conseguimos reabilitar e devolver para o mar animais maiores”, conta Marzia. O último atendimento ocorreu em dezembro de 2017 e foi o segundo caso de reabilitação de toninha do país.

A espécie

Segundos dados da Associação R3 Animal, a toninha é o golfinho mais ameaçado de todo Atlântico Sul Ocidental e, atualmente, é a única espécie de pequeno cetáceo criticamente ameaçada de extinção no Brasil.

Uma característica marcante da espécie é a presença de um rostro longo e fino, bastante visível em indivíduos adultos, e a coloração cinza/pardo na região dorsal e lateral, tornando-se mais clara na região ventral. Ela é dificilmente avistada em seu habitat devido ao seu pequeno tamanho, nada em grupos pequenos de dois a cinco indivíduos e apresenta comportamento discreto na superfície.

Caso animais mamíferos, aves ou tartarugas marinhas com sinais de machucados ou mortos sejam encontrados em praias, é preciso acionar as equipes de salvamento por meio do telefone 0800 642 3341.